2 de dez de 2012

A AIESEC e meus novos caminhos

[English version below]

Enquanto aproveitava a família e os amigos, não estava parada. Seguia em busca da minha próxima jornada que deveria acontecer ainda esse ano.
Antes de viajar para Europa em Abril, eu tinha passado no processo seletivo da Aiesec para fazer um intercâmbio no exterior. E aí você me pergunta: o que é AIESEC? No site da organização, encontra-se a seguinte resposta:

“Reconhecida pela UNESCO como a maior organização de jovens universitários do mundo, a AIESEC está presente em 113 países e territórios e tem mais de 86.000 membros. Formamos uma rede global, que, por meio do trabalho dentro da organização e de intercâmbios profissionais, explora e desenvolve o potencial de liderança de seus jovens.
A AIESEC é apolítica, independente, sem fins lucrativos e totalmente gerida por jovens estudantes e recém-formados. Nosso trabalho se dá através de uma plataforma internacional oferecida aos nossos membros, que permite que os mesmos criem sua própria experiência com as oportunidades disponíveis.
A AIESEC envolve pessoas de diferentes formações, culturas, religiões e interesses, porém todos com o objetivo único de se desenvolverem a fim de se tornar um agente positivo de mudança.”

A organização é formada por diversos comitês locais (CLs), e esses comitês são constituídos por voluntários que passam no processo seletivo para membros. No meu caso, eu passei no processo seletivo para intercambista.
Ao passar no processo seletivo, o itercambista paga uma taxa – cujo valor varia de país para país – e tem acesso ao sistema da Aiesec, chamado My Aiesec. Através desse sistema é possível se candidatar as vagas disponíveis para trabalhar no exterior. O intercambio pode ser voluntário ou remunerado. O meu era a segunda opção.
Enquanto estava fazendo minha viagem de 3 meses, aos poucos – conforme possível – eu aplicava para algumas vagas. Eu nunca tive uma preferência muito grande de um lugar pra ir, mas como já tinha passado dois meses na Índia, era um país que eu só iria se não tivesse outra opção. Apesar disso, a Índia é um país magnífico repleto de vagas em todas as áreas.
Apesar de a minha formação ser na área de administração, eu acredito que toda as experiências são válidas, então comecei a focar num intercambio que fosse em qualquer área que eu pudesse aplicar. Até que surgiram oportunidades na área de ensino, e apliquei para ensinar inglês em dois países: no Egito e na Rússia. Com minha paixão pelo totalmente novo, único e diferente, levei a frente o processo de ir para o Egito, e em menos de 15 dias apliquei, fiz a entrevista, passei e comprei minha passagem. Em pouco tempo entraria no avião rumo à África, para viver num país islâmico por 5 meses.
No mesmo período outros dois amigos também passaram em processos, então decidimos fazer uma despedida juntos, para toda a galera. Uma feijoada clássica, na república de mais famosa de Vitória – a Los Putos -, festejando o dia inteiro.
Decidi passar alguns dias em São Paulo antes de pegar meu voo com escala no Amsterdã para o Egito. Fiz um jantar para os amigos, arrumei as malas – de apenas 17kg – e fui. Ainda tinha 5 dias com minha prima e meus amigos de Sampa, e veio a calhar justamente em um feriado com evento do Couch Surfing na cidade.
Mais uma vez abracei minha família com um “até logo” e entrei no avião. Vitorinha – se tudo der certo – agora só ano que vem!

Aconteceu em 08/2012

[English version]

AIESEC and my new way


Enjoying my family and friends I was still looking for my next destination that would happen this year still.
Before traveling to Europe on April, I had passed on Aiesec selection to do an internship abroad. So you asdk to me: What is Aiesec? On the organization website there is the following answer:

"AIESEC is a global, non-political, independent, not-for-profit organization run by students and recent graduates of institutions of higher education. Its members are interested in world issues, leadership and management. AIESEC does not discriminate on the basis of race, colour, gender, sexual orientation, creed, religion, national, ethnic or social origin."


The organization is formed by Local committees (LCs) and it's composed by a lot of volunteers who pass in the selection to be a member. In my case, I passed in the selection to do na internship.
After passing the selection, the intern should pay a fee - that varies from country to country - and has an access to Aiesec system called My Aiesec. Through this system it's possible to apply to the jobs available to work abroad. It can be as a volunteer or paid. I was in the second option.
While I was doing my 3 months trip, when was possible I applied to some of them. I never had a preference of a place to go but as I had passed 2 months in India, this was not my priority, just if I had no option. But beware that India is full of opportunities in all areas and it's amazing!
Even I'm a Business Administration student, I believe in the effect of all experiences, so I started to look for an internship in all areas I could apply. So I saw some stuff in Educational area and I applied to teach English in 2 countries: Egypt and Russia. With my passion for the totally new, unique and different, I took Egypt and in less than 15 days I applied, did the interview, was approved and bought my ticket. In some days I would be flying to Africa to live in a Islamic country for 5 months.
In the same period, I had 2 friends traveling too, so we decided to only one farewell party, all together. We had a party all day.
I decided to spend some days in Sao Paulo before taking my flight to Egypt - which had a connection in Amsterdam.
I put my 17 kg in the luggage - with gifts and all - and left to Sampa. I had still 5 days with my cousin and Sao Paulo was hosting a big Couch Surfing event.

Once more I said goodbye to my family and entered in the airplane.

Happened in 08/2012