6 de jan de 2013

Barcelona: O que é bom vem pra ficar no coração

[English version below]

O outro dia foi de passagem pela Sagrada Família e Park Güell. Não entramos na Sagrada Família, pois é preciso comprar o ingresso antes, mas já vale a vista de fora pra caramba. A basílica possui uma infinidade de detalhes e ainda está sendo construída. Cada ponto que você olha, é possível descobrir algo novo.
O Park Güell é sem comentários. Cada minucioso detalhe, azulejo, cor. É de graça para entrar, e quando fomos tinha uma banda muito legal tocando chamada Microguagua. Ficamos por um tempo a apreciar o som, comprei um CD e seguimos caminho. O dia estava lindo e tinha comigo meu amigo brasileiro Victor, que incluiu Barcelona em sua viagem de 100 dias pela Europa (confira o blog da sua viagem AQUI).
Voltamos par ao hostel, e a alegria foi ter uma cachaça brasileiríssima a nossa espera. Na companhia de Tarcyo e Eugênio – outros dois brasileiros hospedados por lá - formamos um grupo de brasileiros com muito som bom e diversas caipirinhas.
Ao sair para celebrar o ano novo, algo inusitado aconteceu . Meu amigo foi roubado e levaram a carteira. Apesar das maravilhas de Barcelona, é preciso tomar muito cuidado com os batedores de carteira: estão em todos os lugares. Apesar do acontecido, esse dia não tirou o brilho dos outros. E o novo no começou. Prometendo muitas novas aventuras.
O difícil foi deixar Barcelona. O Richi simplesmente escolheu o MELHOR HOSTEL DEBARCELONA pra gente ficar. O Fabrizzios Guesthouse é aconchegante, parece a nossa casa, tem uma galera sempre com sorriso no rosto e de prontidão pra te atender. Na noite de ano novo até fizemos um presentinho para o Fabrizzios (nome do crocodilo de estimação que deu nome ao hostel), com a garrafa de cachaça que a gente bebeu. Se tiver procurando um lugar pra ficar, não pense duas vezes.
Partimos para o aeroporto com aquela tristeza da despedida. Perdemos o primeiro trem, mas segundo meus cálculos ainda chegaríamos a tempo. Ledo engano. Chegando no Terminal 1 do aeroporto de Barcelona, o rapaz do guichê diz que o check in está encerrado. Imaginou a minha cara? Comecei a implorar para reabrir o check in. Faltava mais de hora pro voo. O homem liga pra um outro que autoriza a reabertura. Acho que foi coisa de espirito natalino.
Cartão de embarque na mão, preparei pra correr. Passei pela segurança com o coração na mão. Por ter quase perdido o voo, por ter amado Barcelona, por mais uma despedida.
Entrei no avião da Egypt Air e já fui novamente me habituando como árabe no lugar do catalão/ espanhol. O voo foi tranquilo, a minha chegada ao Cairo também. Peguei um ônibus do aeroporto direto para a Alexandria. Demorei muito pra chegar, mas 12 horas depois de ter saído de Barcelona estava em casa novamente. Com uma saudade inexplicável dentro do coração.

Aconteceu em 12/2012

[English verrsion]

The good things come to stay in our heart

The plan for the other day was Sagrada Familia and Park Güell. We didn’t enter inside Sagrada Familia cause you have to buy tickets in advance, but outside it’s good anyway. The Basilica has a lot of details and it’s still being constructed. Each place you look, you can find something new.
Park Güell is a place I have no comments to describe. Every particular detail, tile, color. It’s free admission and when we were there we saw a nice band playing called Microguagua. We stayed for some time appreciating the sound, I bought a CD and we continued our way. Was a beautiful day and I had with me a Brazilian friend, Victor, that included Barcelona in his 100 days trip around Europe (check his trip blog HERE)
Back to the hostel, our happiness was a real Brazilian cachaça waiting for us. With Tarcyo and Eugenio – other 2 Brazilians guests – we were a Brazilian group with a good sound and a lot of caipirinhas.
Going out to celebrate the New Year something we were not expecting happened. Someone stole my friend’s wallet. Despite Barcelona being amazing, you need to be really careful with the pickpockets: they are everywhere. Even after all, this day didn’t delete the brightness of the others. And the New Year started, promising a lot of new adventures.
The difficult part was to leave Barcelona. Richi choose the BEST HOSTEL IN BARCELONA for us. FabrizziosGuesthouse is cozy, like our own place, with people always smiling and ready to help you. In the New Year night we did a gift to Fabrizzios - the crocodile bear name which gave the place the name to the hostel – with the empty cachaça bottle. So, if you are looking for a place to stay: don’t hesitate!
With the goodbye sadness we went to the airport. We lost the train, but as I was calculating it was still fine to do the check in: I have time. But I was wrong and arriving in the Terminal 1, the guy in the check in said it was closed. Can you imagine my face? I start to beg him to reopen it, it was more than 1 hour to the flight. He called to someone who authorized. I think it was Christmas spirit.
With my board card I prepared to run. I was anguished. Maybe because I almost lost my flight, probably because I loved Barcelona, for sure because once more I was saying goodbye to someone I love.
I entered in the Egypt Air airplane and started to get use again to people speaking Arabic in the place of Catalan and Spanish. The flight was normal and my arrival in Cairo the same. I took the bus from the airport direct to Alexandria. It took a long time, but after 12 hours after leaving Barcelona I was back home, with an unaccountable “saudade” inside my heart.

Happened in 12/2012