14 de out de 2012

Vipassana: Meus 10 dias em silêncio


[English version soon]

Quando cheguei na Índia, eu nuca imaginei que passaria por uma experiência tão profunda relacionada à meditação. Várias pessoas me perguntavam o meu motivo de ir para a Índia e sempre associavam à questões espirituais, yoga ou algo do gênero e eu sempre respondi que na verdade meus motivos estavam ligados apenas a curiosidade de um viajante.
Na minha primeira ida à Bangalore conheci uma pessoa que me falou a respeito de um curso que ensinava uma técnica de meditação chamada Vipassana. Decidi tentar pois seria um novo desafio e por diversos outros motivos: a Índia é muito barulhenta, 10 dias em silêncio ia ser bom pra minha mente; ele disse que o curso não era ligado à nada religioso, reservado apenas à transmitir o conhecimento a cerca da técnica de meditação; ele foi extremamente convincente quando disse que era uma pessoa antes do curso e hoje é outra, finalizando com a célebre fala: todo mundo tem que fazer uma vez na vida.
Cheguei na casa e a primeira coisa que fiz foi olhar o site, achar o centro mais próximo, verificar a data do curso e me inscrever.
As regras básicas do curso são simples:
·  Abster-se de matar qualquer ser.
·  Abster-se de roubar.
·  Abster-se de toda atividade sexual.
·  Abster-se de mentir.
·  Abster-se de todo tipo de intoxicantes.

As demais regras podem ser conferidas através do site: http://www.dhamma.org/pt/code.shtml

O que não é Vipassana:
  • Não é um rito ou ritual baseado na fé cega.
  • Não é um entretenimento intelectual ou filosófico.
  • Não é uma cura através do repouso, umas férias ou uma oportunidade de confraternização.
  • Não é uma fuga dos problemas e atribulações da vida diária.
O que Vipassana é:
  • Uma técnica para erradicar o sofrimento.
  • Um sistema de purificação mental que nos permite enfrentar todas as tensões e problemas da vida de maneira calma e equilibrada.
  • Uma arte de viver que permite uma contribuição positiva para a sociedade.

Cheguei a tempo no curso graças a ajuda dos anjos dos viajantes. O local era uma chácara em uma vila que ficava a cerca de 1 hora de Bangalore. Nas primeiras horas pude conhecer algumas das estrangeiras que estavam ali para fazer o curso e inclusive tinha uma brasileira! Iria dividir quarto nos próximos 10 dias com uma suíça, que conversei por apenas 2 horas. Em pouco tempo entramos no profundo silêncio.
Meditávamos 10 horas por dia, seguindo as instruções do professor Goenka. Achei que depois dos primeiros dias as coisas ficariam mais fáceis, mas na verdade se tornaram cada vez mais difíceis. As pernas ficavam dormentes, os joelhos doíam muito. Era difícil concentrar e se manter imóvel.
Mas mesmo com todas as limitações humanas, aos poucos minha mente e coração cederam ao que eu posso de chamar da maior transformação da minha vida. Vipassana é ver as coisas como ela são. Você se concentra nas sensações do seu corpo, e naquilo que existe naquele momento – física e mentalmente. Vipassana te ensina que tudo passa, que a dor passa, a alegria passa. Mas que se você entende o que está acontecendo com você, se você observa as suas sensações, você passa a entende-las e aceita-las.
Ao final do curso, com a sensação de vitória por não ter desistido, me senti diferente. Quando as pessoas perguntam se essa sensação é temporária, como a criança que acaba de ganhar algo legal e logo esquece, eu posso dizer que tem 5 meses que entrei naquele centro, e as mudanças na minha vida foram para sempre.



O curso é gratuito, para que esteja livre de qualquer pensamento. Hospedagem, comida, tudo é com base em doações. Ao final do curso, faça a doação que achar que deve, ou nenhuma. Apenas pense que alguém merece passar pelo mesmo que você! :)
Vipassana hoje está presente no mundo todo, inclusive no Brasil! Viva essa experiência você também!

Bhavatu sabbamangalam!
Que todos os serem sejam felizes!